Da paixão à humilhação - Parte 3 - A Jéssica gozou com o pau do Roberto engatado em sua periquita


Enviado por Jovem Professor em 29/10/2019
Encontre garotas de programa e acompanhantes na sua cidade

Categoria: Jovens X Mais Velhos | Visitas: 1311
Avaliação: [Votar]
1 Comentários [Comentar]

Com a vara do Roberto completamente atolada em sua prexequinha, eu percebi que a Jéssica estava lagrimando bastante e chorando baixinho, com a carinha bem triste e dolorida. Mas o safado, sem qualquer piedade, ficou parado dentro dela, com ela naquela posição, só olhando para aquele lindo rostinho, enquanto a palma dos pezinhos dela estavam na direção do teto.

Confesso que eu quase gozei na hora da penetração, na hora que o pau daquele cafageste engatou na xotinha da minha prima. Tive que fazer muito esforço para me conter, pois o meu pau estava muito duro e babando. Era estranho aquilo. Minha amada ali com aquele animal e eu com tesão, quase gozando. Parecia até que era eu deitado em cima daquela gatinha cheirosa, sentindo a maciez de sua pele.

- Deliciazinha... que coisinha mais gostosa...! - o Roberto falou e continuou alí, segurando ela. Minha prima mordia os lábios, se contorcia, franzia o rosto, mas não pedia para tirar de jeito nenhum. Parecia que ela já estava gostando da sensação de ser possuída daquele jeito. Eu estava vislumbrado vendo tudo aquilo. E se eu estava curtindo aquela visão, imagina o Roberto. Ele segurou minha prima, deixando-a bem imóvel, com o cacete dele agora todo dentro dela.

Os olhos da Jéssica agora estavam arregalados, procurando o olhar do Roberto. E ele, com paciência, esperou o tempo certo para comer, para iniciar o movimento de vai-e-vem dentro da xoxotinha que deveria ser minha, somente minha.



- Tá gostando, safadinha, tá?
- Tooou... huuuunnn.. hunnnnn...!
- Não é isso que tú pediu?... Agora essa vara vai ficar dentro de ti por um bom tempo, putinha gostosa!

O Roberto falou isso e deu uma risada sarcástica, e a Jéssica quietinha, gemendo baixinho e só olhava fixo para ele, desejando ser dele, toda dele, naquele exato momento. Agora eu tinha uma triste certeza. Naquela posição, embaixo dele, ela só iria sair dali quando o cretino estivesse completamente satisfeito. Certamente ele iria gozar muito mais de uma vez dentro dela e aproveitar aquele corpinho ao máximo, para meu desespero.

Mas eu não quis sair dalí. Eu queria ver tudo, mesmo que a situação estivesse me machucando muito. Assim, passados uns cinco minutos, o Roberto começou a bombar bem devagar na buceta da minha prima e ela a gemer bastante, descontrolada.
- Hunnn... hunnn.... hunnnn! - ela gemia e rebolava o quadril, procurando o pau dele com a xaninha. Mas o Roberto, malandro que sempre foi, sempre parava quando percebia que ela ia gozar.

- Nãoooooo.. hunn... não... pára... hunnn... ohhhhhh... meu deusssssssss... ahhhhhh... nãooooo... páraaaaa... por... favor... continuaaaaaa...!! - ela falava baixinho, com urgência na voz. Mas o safado sabia que ela só gozaria quando ele quisesse. Ele fazia isso com todas as meninas que ele pegava e, tanto eu quanto ele, sabíamos que a Jéssica era apenas mais uma para ele, mais uma menina que ele ia foder e largar no dia seguinte.

- Ohhhhhh... deusssss... hummmmm...!! - minha prima falava desesperada, com a voz fraca. Quando o Roberto parava de meter, ela tentava rebolar mais, empurrando o quadril contra o dele, querendo mais rola dentro dela. Mas o safadão era pesado, e ela estava na posição de frango assado, e quase não podia se mexer. Ele botou ela assim de propósito, para castigá-la ainda mais.

- Quer que eu goze muito dentro de você?... quer, bebê? .. quer, hein?
- Queee... ro... faz... faz o que quiser comigo... faz tudo comigooooo...! - a Jéssica falou meio abafado. Eu não estava acreditando naquilo. O risco de engravidar do safado do Roberto nem passava pela cabeça dela naquela hora. Miseravelmente, tudo que ela mais queria era sentir o prazer de ser possuída por aquele sujeito. Meu deussss! Eu não sabia mais o que fazer.

E o Roberto continuava enfiando até o talo naquela xoxotinha e tirando quase tudo pra fora, mas sempre parando quando ele sentia que ela ia gozar. E isso estava deixando minha priminha cada vez mais desesperada.
- Porraaaa! Que bucetinha apertada que você tem, bebê... caralhoooooo, chega gruda no pau de tão apertadinha... sssshhhhhhh... delícia demais!

O prazer do Roberto era máximo naquele momento. Seus olhos pareciam de uma fera, e eu sabia que ele ia falar muito da Jéssica e de seu cabacinho para os outros empregados e também para seus amigos. Então, depois de alguns minutos, ele saiu de cima dela. Dava para ver aquela vara, que parecia que tinha dobrado de tamanho e estava ainda mais torta, e toda melada, inclusive com um pouco de sangue.

Quase chorei. O estrago na minha princesa já estava feito, para a minha infinita tristeza. Pelo tamanho daquela pica, eu sabia que a bucetinha dela estava toda abertinha e dilatada. Quem lê esse conto não tem idéia do que é amar uma menina desde pequeno, crescer junto com ela, sonhar com ela todos os dias, e de repente vê-la naquele estado.
- Vem cá... Vira... Isso... desse jeito! - ele ordenou, e ela voltou a se virar de bruços, seguindo seus comandos.

Indo por trás da minha prima, o Roberto a pegou firme pelos quadris e a pôs de quatro. Aquela era a primeira vez que ela ficava de quatro para um homem, nuazinha. Meu tesão aumentou, mas eu não queria sentir isso. Então ele pegou os braços da Jéssica e pôs os dois em cima das costas dela. Em seguida ele segurou ela com uma mão pelos quadris e com a outra ajeitou o enorme cacete torto na xaninha dela.

- Ainnnnnnnnnnnnnn...!! - ela deixou escapar um gritinho quando ele foi empurrando a vara bem devagar, atolando aquele cacetão dentro dela. Ouvi até o barulho do ar sendo expulso de dentro da xoxotinha abertinha dela. Que loucura! E o safado alí, curtindo os gemidos da menina com a qual sonhei toda a minha vida. A visão que eu tive foi inesquecível. A bunda da Jéssica empinada ao máximo, pronta para receber a pica inteira, disposta a engolir o pênis enorme e grosso do Roberto.

Mesmo assim o cretino não conseguiu enfiar tudo. Vi que ele forçava e forçava, mas faltou uns quatro ou cinco centímetros que minha prima não conseguiu engolir pela xana. Então ele parou de forçar e começou a bombar, no começo bem lento, mas, depois de uns dois minutos, acelerou mais e logo estava socando sem dó.
- hunnnnnnnn... hunnnnnnn... aiiii... hunnnnnnn...!! - ela gemia forte e totalmente descontrolada, com uma expressão de dor em seu rostinho angelical.

Nessa posição, a penetração foi profunda, e parecia que algo incomodava ela. Com certeza ele a estava machucando um pouquinho.
- Relaxa, putinha gostosa... tô tocando bem no seu útero, não estou, cheirosinha?... relaxa e curte que não vou machucar muito... curte essa vara nessa sua bucetinha... Tô acostumado a comer buceta assim! - o desgraçado ainda se gabava. Maldito!!! Precisei me segurar muito para não voar em cima do safado e dar uns murros na cara dele.

- Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh...!! - De repente a Jéssica entrou em orgasmo e ele finalmente deixou ela gozar do jeito que ela tanto queria. Que loucura ver aquilo. Minha priminha deu um longo gemido, enquanto seu corpo sofreu uma espécie de choque que não passava mais. Para minha tristeza, ela chegava ao prazer máximo na vara dele. E o Roberto só ria enquanto ela se contorcia gozando na vara dele, e eu tinha vontade de acabar com ele.

- Meu deussssss... ohhhhhhhhhhh... meu... ahhhhhhhhh... deusssss...! - ela continuava falando e gozando ao mesmo tempo. Em seguida ela ficou bem mole, com os olhos fechados. Mas o Roberto continuou acelerando as estocadas na buceta dela, sem pena.
- hunnnnnnnnnnnnnnnnnnfffff... nossaaaaa... hunnnnnnnnnfff...! - ela continuava gemendo baixinho. E, seu gemido, de gatinha manhosa, deixava ele possesso, pois seus olhos pareciam de um animal selvagem.

- Aiiiii... aiiiii... uiii... hunnnnnnnnnfff... de... va... gaaar... hunnffff...! - ela começou a reclamar um pouco depois que ele acelerou as metidas ao máximo. Mas o cara estava alucinado em possuí-la e nem ligou mais. A bunda dela batia com tanta força na pelve dele que fazia "ploft, ploft, ploft". Minha prima parecia uma bonequinha de pano nas mãos do tarado do Roberto.

Perdi o meu controle. Não aguentei ver aquilo e, mesmo não querendo, gozei na minha cueca. E gozei muito mesmo. Parecia que meu pau não ia mais parar de ejacular. No entanto fiquei muito chateado com aquilo, pois o cara estava lá arrombando a Jéssica de todas as formas e eu alí escondido, gozando sozinho. A bucetinha da minha prima deveria estar engolindo a minha pica e não a rola daquele safado do Roberto.

- Gostoooosaaaa... tesão de putinhaaaaa... Tu vai ser minha enquanto eu quiseeeeer agora, sua safadinha linda! - o malandro falava no ouvido dela e praticamente urrava de prazer, e dava para escutar à distância os gemidos dele. Que merda, viu? Eu estava tão desesperado que eu torcia para que ninguém escutasse e fosse olhar pela brecha também.

O rostinho da Jéssica estava voltado para a minha direção, e parecia que ela tinha perdido um pouco o tesão, devido à rapidez com que ele a comia agora. Achei que ele estava machucando um pouco ela, pois ela havia acabado de perder o cabaço na vara dele e ele alí, socando o pau sem dó.

De repente o Roberto segurou minha prima pelos cabelos e puxou firme, fazendo seu rosto levantar para não machucar sua cabeça. Mas o safado queria ela com os ombros no chão, e não deixou ela levantar muito seu corpo. Então, com uma mão nos cabelos dela, perto da nuca e a outra nos quadris, ele continuou aquele arrombamento, metendo bem forte, com muita violência.

- Era isso que você queria, né, sua safadinha?... eu conheço uma putinha só de olhaaarr... porraaaa... que delícia de buceta!... Ainda bem que os caras daqui nunca notaraaaam... e deixaram um cabacinho pra mim...! - ele falava e ria. E eu estava com puro ódio dele, e ela não dizia nada, pois estava em completo estado de submissão pelo prazer.

- Aiiiiiiiiiiiiiiiii...! - a Jéssica soltou um gritinho agudo quando o Roberto, repentinamente, soltou os cabelos dela e deu uma metida bem funda e rápida, puxando seus quadris, com toda sua virilidade, de encontro à sua rola.
- Gostosaaaaaaaaaa...! - ele falou entre gemidos e começou um demorado gozo.
- Ai, ai, ai, ai...! - minha prima gemia também enquanto ele estava em pleno prazer do gozo e descarregava a droga do seu saco todo dentro dela.

- Aaaaaaahhhhggg... aaaaaahhhhhhhhhhh.... caralho... essa buceta é de... maiiiiss. Tu é muito gostosaaaaa...! - o safado não parava de falar, o que me deixava com mais raiva ainda. E a Jéssica, durante o gozo do Roberto, franzia o rosto e deixava a bunda toda a disposição dele, que tentava esmagá-la contra sua pelve. Quanto o gozo terminou, ele deu um tapa na bundinha dela e foi tirando devagar o pau melado e pingando esperma. Eu não conseguia ver a xaninha dela naquela posição, mas dava para ver que estava escorrendo esperma pelas coxas lisinhas dela.

- Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh...!! - minha prima soltou um longo gemido quando o Roberto foi puxando o pau para fora de sua buceta. Quando a pica saiu toda, ela caiu de bruços. E o safado ficou ali, com a vara bamba, olhando a bundinha dela por uns dois minutos ou mais. Minha priminha estava bastante embriagada com as cervejas que bebeu e ficou quietinha, deitada de bruços, com os olhos fechados.

- Delícia de menina! - O Roberto olhou para o traseiro dela por mais alguns minutos e depois chamou ela umas duas ou três vezes, passando a mão em seu corpo. Mas ela não se mexia. Ele então virou o rosto dela e notou que ela havia apagado com a bebida e talvez por causa de seus orgasmos. E eu parado alí no meu cantinho, só observando tudo, cada detalhe da minha amada sendo desvirginada daquela forma por aquele malandro comedor de meninas inocentes.

O Roberto então se levantou, abriu mais uma cerveja e ficou tomando e olhando para a Jéssica alí, deitada de bruços nuazinha, quietinha e agora completamente inconsciente. Eu também a observava, mas eu estava transtornado. Cheguei a passar mal por ver aquilo tudo. Eu não estava preparado para aquela cena, e acho mesmo que eu nunca estaria.

Depois de beber toda a sua cerveja, o safado cafageste foi ao banheiro, acho que para limpar o pau dele. Logo ele voltou e continuou olhando para a minha prima alí, totalmente indefesa, dormindo, depois de ser massacrada na vara daquele safado. Eu pensei na mãe dela, que pediu para que eu cuidasse dela. De alguma forma, eu teria impedido aquilo se eu não tivesse me afastado dela. Que droga! Comecei a me culpar por aquela situação também.

O cara se aproximou dela e começou a passar as mãos no bumbum dela, alisando, brincando com os dedos nos contornos da bundinha dela. Ele chegou a dar uns tapas de leve, sempre sorrindo, mas a Jéssica nem se mexia, e eu fiquei ainda mais preocupado e sem saber o que fazer. O Roberto então começou a abrir a bundinha dela, olhando o cuzinho. Desgraçado!!! Mil vezes desgraçado! Ele já tinha feito tudo aquilo com ela, mas certamente ele queria enrabar ela agora, comer o cuzinho dela. Eu tinha que fazer alguma coisa, mas eu não sabia o quê.

Dava para perceber claramente que o pau dele estava levantando de novo. Então, de repente, ele se deitou do lado da minha prima e puxou ela de costas para ele. Sem muita cerimônia, ele só ajeitou a cabeça da rola e penetrou a xaninha dela por trás. - Hummmmmmmmmmm... - a Jéssica só resmungou baixinho, sem sequer acordar. E ele ficou socando bem devagar, curtindo bem o corpinho dela e aproveitando, pois nem sempre ele teria alguém tão linda como a minha prima.

O Roberto ficou fodendo a Jéssica assim, por trás, por quase uns 20 minutos, sem ela acordar.
- Ahhhhhhhhhhhh... delícia... que bucetinha mais gostosa, docinho lindo... seu macho vai gozar em você de novo, tá, putinha linda... seu macho vai dar leitinho na sua priquita de novo... ahhhhhhh... delíciaaaaaa...! - ele acelerou um pouco e gozou novamente. Enquanto gozava, ele puxou os quadris dela com certa violência. Ela chegou a se mexer, mas não acordou.

Rindo de orelha a orelha, em plena satisfação. o maldito a virou de barriga para cima e abriu as pernas dela, de forma que eu conseguia ver que escorria muito esperma de dentro dela. Nossa! Fiquei preocupado, pois ele disse estar sentindo o útero da Jéssica na cabeça do pau dele e, com uma gozada no útero, o risco de ela engravidar era grande, e isso seria ainda pior, se viesse a ocorrer, é claro.

Então, após mais alguns minutos de completa agonia para mim, o Roberto resolveu se vestir e tentou acordar novamente a Jéssica, mas ela só resmungava. Minha prima estava bêbada mesmo. Ele calmamente pegou a calcinha dela e limpou suas pernas, removendo o esperma que descia pelas coxas. Em seguida ele vestiu a calça jeans nela, e depois vestiu a blusa de qualquer jeito, deixando aberta na frente.
- Vem, vamos... está na hora de ir pra casa, gatinha! - ele sussurrou e foi levantando ela, colocando-a em pé, mas ela estava cambaleante.

Com jeitinho o Roberto segurou a minha prima com um dos braços, como se estivesse abraçando e foi levando-a para fora do "comedor". Lá fora ele sentou ela em um banco. Percebi que ela ainda estava muito tonta, mas um pouco mais consciente.
- Meu deusssss... eu... minha mãe... nossaaaa... eu não... podia ter feito... isso... com... a minha... mãe... ela... confiou em mim...! - a Jéssica começou a chorar baixinho e ele foi levando ela, apoiada nele, para fora do barco.

Quando eles saíram, eu sai imediatamente e fui para o andar debaixo do barco, sem passar pelas escadas. Estava escuro e ninguém me viu. Consegui sair do barco antes deles e fiquei em terra em um lugar em que o Roberto não poderia me ver. Ele saiu do barco com a Jéssica cambaleando e deixou ela há uns 30 metros do barco. Alí ele a abandonou, sem sequer beijá-la uma última vez, e voltou ao barco. Com certeza ele estava preocupado com a mulher dele, que ia chegar depois e, pelo que eu sabia, ela era muito valente.

Tão logo o Roberto se afastou, eu me aproximei rapidamente da Jéssica. Vi que ela não conseguia nem caminhar. E não poderia ser diferente, pois ela tinha bebido cerveja como se fosse refrigerante, e agora estava daquele jeito, completamente bêbada.
- Jéssica! Ei, Jéssica... prima... o que você tem, Jéssica? - falei e ela me olhou meio assustada.

- Pedro, eu... eu... acho que tomei umas cer... cervejas com minhas cooo... legas e.... estou meio tooon... ta! - ela respondeu e, em seguida, desabou no chão e começou a chorar. Por sorte estávamos na grama e ela não se machucou.

Rapidamente eu a levantei e a segurei firme, abraçando ela, com seu corpinho colado ao meu. Mas o cheiro de esperma daquele traste do Roberto estava muito forte na minha prima. Vi de imediato que ela não tinha condições de chegar em casa daquele jeito. Minha tia não poderia vê-la naquele estado jamais. Eu tinha que conseguir um lugar para ela ficar até ela se recuperar, pois eu a amava muito, mesmo depois de assistir ela gozando no pau de outro homem. Meu deusssss! A culpa foi toda daquele filho da puta do Roberto.

Por sorte eu tinha um amigo que trabalhava em outro barco de turismo, e que estava ancorado ali também. Resolvi pedir socorro a ele, consegui um camarote no barco que estava desocupado e levei a Jéssica para lá, onde ela tomou banho e dormiu. Eu nada fiz com ela, pois decidi esperar ela se recuperar para conversar com ela.

Pela manhã, eu a acordei e ela tomou banho e foi para a casa dela, praticamente sem falar comigo, pois eu acho que ela estava com vergonha de eu ter visto ela bêbada. E eu voltei para minha rotina no barco. Porém, muito triste com o que havia acontecido. E, para complicar as coisas ainda mais, dias depois voltou a acontecer algo que jamais esquecerei. Mas isso eu conto nas próximas partes desse relato.

Continua em "Da paixão à humilhação - Parte 4 - Amor de pica quando bate fica"

Você faria sexo com mulheres feias discretamente? Temos várias cadastradas no nosso site

Envie seu conto erótico ou estória verídica para publicarmos: Gostaria de publicar sua estória ou conto erótico em nosso site? Basta enviar para cintia_gomes@estoriasdesexo.com.br

Darei preferência aos contos inéditos, ou seja, que não foram publicados em outros sites do gênero. Também me reservo o direito de revisar seu texto (para deixar o português "tinindo" de bom).

Ao enviar o conto, não se esqueça de colocar um TÍTULO, CATEGORIA e o NOME DE USUÁRIO (aquele que aparece como a pessoa que publicou). O nome de usuário pode ser algo como "Menina Novinha", "Urso Carinhoso", "Pegador de Coroas", etc. No corpo do conto você poderá colocar seu e-mail para contato, se quiser, é claro.

Gostou Desta Estória? Compartilhe Com Seus Amigos

Dê sua nota para este conto erotico

Gostou deste conto erótico? Deixe sua nota:


Comentários

Nome: Paulo
E-Mail: josewdcabral@bol.com.br
Data: 09/11/2019
Adoro uma mulher inteiramente puta e safada. 31. 98899. 2210

Você quer foder mulheres feias na sua cidade? Mas tem que ser discreto, pois a maioria é casada. Temos várias cadastradas em nosso site. Basta clicar e enviar mensagens a elas.


Deixe um Comentário

Quem quiser entrar em contato pra conversamos um pouco sobre sexo ou quem sabe fazer uma boa amizade, deixe os seus dados nos comentários abaixo que entro em contato.

Importante: Devido à reclamação de várias pessoas de que seus números de telefone estavam sendo postados aqui sem o seu conhecimento, permitimos agora somente o endereço de e-mail.

Contos Eróticos Relacionados

Comendo a namorada
Sem minha namorada perceber eu coloquei uma câmera escondida e filmei ela gemendo bem gostoso na minha rola até gozar
Novinha deliciosa dançando
Gatinha linda começa dançando de shortinho e depois tira a blusa e a calcinha, ficando completamente peladinha
Fodendo a safadinha no banheiro da festa
Novinha putinha queria mesmo uma pica bem grossa na xoxotinha. Depois de beijar o cara eles foram para o banheiro meter

Veja mais vídeos pornô de novinhas

Consiga o WhatsApp de centenas de mulheres solteiras e casadas de todo o Brasil. Temos grupos de WhatsApp de putaria e muito mais. Cadastre-se gratuitamente

Alguns homens e mulheres recém-cadastrados no Classificados de Sexo
Quer conversar com eles? Basta enviar uma mensagem!

moreninhalinda
De: Porto Alegre - RS

Sou divertida sensual sexi e to aprocura de homens
Mensagem Chat
casalrp
De: Ribeirao Preto - SP

Olá SOMOS UM CASAL bem resolvidos e discretos, estamos a procura de uma mulher ou casal, que assim c
Mensagem Chat
deusasafada
De: Pedreiras - MA

Sou casada safadinha e adoro sexo, aventuras e novas experiências. me chama pra gente conversar.....
Mensagem Chat
menina_curiosa
De: Salvador - BA

Oi, pessoal, sou novinha e adoro sexo virtual. Fico toda meladinha quando estou conversando besteira
Mensagem Chat
negao_3535
De: Arcos - MG

super discreto a procura de aventura
Ver Perfil Chat
dorisly
De: Cabo Frio - RJ

Me acho uma mulher muito interessante e de dar inveja aos outros homens, pois sou liberal ao ponto d
Mensagem Chat

Veja mais usuários do sexo feminino e masculino

Últimos Comentários dos Leitores

Uma menina muito experiente em sexo anal [Fotos de Novinhas] [Vídeos de Novinhas]
Eliana disse:
Uhh nossa amo da a buceta ,mas confesso que na hora se souber me convencer e saber fazer come meu cuzinho também ,delícia tesão na buceta ,pena que falta piroca estão todas escondidas por aí ,some todas ,eu Carente de uma bem.grande e grossa

Você quer foder mulheres feias na sua cidade? Mas tem que ser discreto, pois a maioria é casada. Temos várias cadastradas em nosso site. Basta clicar e enviar mensagens a elas.

Meu lindo cunhado gozou na minha calcinha [Fotos de Novinhas] [Vídeos de Novinhas]
Eliana disse:
Tesão na buceta ,se tiver uma piroca bem safada que consiga apagar meu fogo me chama no zap ,e se for esperto vai ser sigilo ,quem come quieto come sempre heim

Você quer foder mulheres feias na sua cidade? Mas tem que ser discreto, pois a maioria é casada. Temos várias cadastradas em nosso site. Basta clicar e enviar mensagens a elas.

Traí meu namorado com um desconhecido do hotel [Fotos de Novinhas] [Vídeos de Novinhas]
Eliana disse:
Nossa que tesao na buceta ,o proibido e tão gostoso ,como queria nesee momento um pau bem gostoso na minha buceta ,que tesão estou vontade de mamar e dar muito essa buceta que fogo não apaga nunca

Você quer foder mulheres feias na sua cidade? Mas tem que ser discreto, pois a maioria é casada. Temos várias cadastradas em nosso site. Basta clicar e enviar mensagens a elas.

Helena e o primeiro anal [Fotos de Novinhas] [Vídeos de Novinhas]
Eliana disse:
Sou comprometida ,mas nada e ninguém apaga o fogo da minha buceta ,fazer o que se o proibido é mais gostoso por isso gosto tanto de variar pirocas gostosas ,delícia demais que tesão não buceta aqui

Você quer foder mulheres feias na sua cidade? Mas tem que ser discreto, pois a maioria é casada. Temos várias cadastradas em nosso site. Basta clicar e enviar mensagens a elas.

Transei com a mulher do meu amigo porteiro [Fotos de Novinhas] [Vídeos de Novinhas]
Moreninha disse:
O perigo é sempre mais gostoso, né? Fiquei excitada lembrando Das vezes que transava não escada do meu prédio. Que delicia! No começo foi, mas não existe coisa melhor do que um cu bem comid

Você quer foder mulheres feias na sua cidade? Mas tem que ser discreto, pois a maioria é casada. Temos várias cadastradas em nosso site. Basta clicar e enviar mensagens a elas.

Contos Eróticos Sugeridos

Contos Eróticos Mais Vistos

Categorias de Contos Eróticos

Vídeos Pornô de Novinhas
Anal / Sexo Anal
Diversos
Em Público
Fantasias
Fetiches
Gatas/Gatos
Gays/Lésbicas
Héteros
Incesto
Jovens X Mais Velhos
Masturbação
No Emprego
Orgias
Sadomasoquismo
Teens - Jovens
Traições
Três ou Mais
Zoofilia